IBPecan assina acordo com Embrapa para projetar cultura da noz pecan

Objetivo da parceria é dar suporte tecnológico e promover o crescimento sustentável da cadeia produtiva


A Embrapa Clima Temperado (Pelotas, RS) assinou simbolicamente o acordo de cooperação técnica com o Instituto Brasileiro de Pecanicultura (IBPecan) neste dia 20 de maio, durante a abertura do VI Seminário da Cultura da Noz-pecã. O objetivo da parceria é dar suporte tecnológico e promover o crescimento sustentável da cadeia produtiva. O ato ocorreu às 9h, com transmissão através do canal da Emater/RS-Ascar no YouTube.

Chamado "Pecan 2030", o projeto irá captar recursos, desenvolver e transferir tecnologias e elaborar estratégias com base nas metas do setor para 2030. Estão previstas atividades para definição do padrão qualitativo de mudas e de nozes e para estabelecimento e adoção de boas práticas agrícolas. A expectativa é qualificar os pomares e atingir entre 25 mil e 30 mil hectares plantados no país nos próximos dez anos.

O projeto também busca dar suporte técnico à elaboração de políticas públicas e à proposição de normas técnicas para a Produção Integrada da Nogueira-pecã, de maneira a viabilizar a rastreabilidade e a certificação, o que ajudará a acessar novos mercados com a exportação das nozes. Por enquanto, o país ainda importa: foram 125 toneladas importadas da Argentina na safra 2019-2020.

Seminário - O evento será realizado em duas quintas-feiras. No dia 20 de maio, o tema foi " Noz-pecã: qualidade e boas práticas de produção e de industrialização para adequação às exigências de mercado". Já no dia 27 de maio, o assunto será o "Mercado para noz-pecã no Brasil e no mundo". Participarão dos debates representantes de instituições de ensino e pesquisa, de órgãos governamentais e de empresas ligadas ao setor produtivo.


Inscrições gratuitas: https://bit.ly/32Wr8XB


Acesse o primeiro dia do seminário na íntegra:



Segundo a pesquisa, aspectos referentes à qualidade e à comercialização ainda representam entraves ao setor produtivo atualmente. "O evento está sendo articulado como uma forma de sensibilizar a cadeia produtiva para a construção das boas práticas de produção, que vão dar condições para, no futuro breve, construir a Produção Integrada de nogueira-pecan", explica o pesquisador da Embrapa Clima Temperado Carlos Martins.

Cadeia produtiva - Segundo dados da Embrapa e do International Nut and Dried Fruit (INC), neste ano, a expectativa é superar a marca de 4,5 mil toneladas colhidas, com produtividade média estimada em uma tonelada por hectare. Ao todo, são cerca de dez mil hectares cultivados no país - 70% no RS, 22% em SC e 8% no PR. Atualmente, o Brasil é o quarto maior produtor mundial de noz-pecan.



Fonte: Revista da Fruta (publicado em 19/05/2021 - edição digital)



38 visualizações0 comentário