Novos desafios em tempos de Covid-19.

Publicação que está disponível no boletim informativo nº 07 publicada em 02 de junho de 2020.



Em abril vimos que os preços praticados para nozes pecan com casca nos Estados Unidos e México eram, para tamanhos Oversize de U$ 5,53, Extra Large U$ 4,93, Large U$ 4,88, Medium U$ 4,39, e Small U$ 3,36. Temos consolidada a importação da Alemanha de nozes sem casca, em 2019, no valor de U$ 56,4 milhões, com 4,906 milhões de quilos e média de U$ 11,50/Kg. Na Holanda, em 2019, importaram U$59,6 milhões, com 4,050 milhões de quilos, média U$ 11,83/Kg, 90% de origem americana. Sabemos que estes preços animam os produtores brasileiros. O que não sabemos é como será este futuro após pandemia e ao longo do tempo necessário para vencê-la. Já com várias semanas confinados, refletimos sobre os efeitos da pandemia. Além da precaução, aparece o efeito na economia, com possibilidades de forte recessão.


É importante conscientizar as pessoas do perigo desta pandemia, suas consequências, a origem destes desiquilíbrios e a não entrar no jogo dos interesses não republicanos de parte dos políticos e econômicos, por parte de empresas de comunicações, que subordinam a saúde da população e a paralisação de um país aos seus objetivos. Como consequência, poderemos ter a presença de um radicalismo indesejável, comprometendo o sistema democrático. Infelizmente a história não poupa ninguém e nos chama para responsabilidades pela nossa parte na busca de soluções no curto e longo prazo. A pandemia está desorganizando a oferta e demanda, o sistema de crédito e o comércio. Coloca todos de joelhos diante de uma ameaça invisível. O vírus não informa quando, de que forma e como vai atacar. O sofrimento se espalha com os óbitos. Com toda a tecnologia e a informação existente não foi possível se preparar para esta guerra invisível.

Mostra a nossa fragilidade e questiona o nosso modo de vida.


Com liberdade buscamos a riqueza e um melhor padrão de vida. Sabemos que se a população mundial vivesse no padrão de consumo dos Estados Unidos precisaríamos de quatro planetas para equilibrar a natureza. Este descompasso nos leva à desigualdade e ao sofrimento. O conceito de sustentabilidade nos leva a priorizar o que é mesmo necessário para uma vida boa. Em casa, nas conversas, aparece o mistério da morte sempre pedindo resposta, especialmente pelos filhos e netos. Difícil entender a liberdade da criatura humana como um ato de amor do seu Criador e que este mistério nos exige um profundo ato de Fé. Confiança e solidariedade criativa é a convocação do Papa Francisco. O medo não pode nos paralisar. Somos demasiadamente frágeis e dependentes uns dos outros e com Aquele que nos Criou. O vírus nos mostra que somos todos iguais, que temos que mudar o modo como tratamos a natureza, que criamos conflitos e guerras devido à hipocrisia e inveja.


Dedicamos pouco tempo à família, ao carinho e aos amigos. Esquecemos de proteger a natureza e de produzir de forma sustentável. Podemos viver de forma mais simples, fazendo o bem e protegendo uns aos outros. Deixemos de construir palácios para nossos desembargadores e façamos hospitais para servir ao povo, menos estádios e mais redes de esgotos para todos terem melhor saúde. Atentos aos destinos dos recursos públicos, vamos fazer com que a qualidade de vida e da educação dos nossos filhos sejam prioridades. Com o afastamento entre as pessoas perdemos o convívio social e parte do familiar. Esperamos ganhar tempo até que a tecnologia encontre soluções para controlar o Covid-19. Só assim os grupos de risco terão a esperança de viver mais. Neste tempo o Estado perderá receitas importantes e parte da população perderá o trabalho. Que lições vamos tirar desta crise? Refletindo entenderemos melhor a importância da solidariedade, da disciplina e da responsabilidade.


Estamos colhendo a safra brasileira de pecan. Escutamos de alguns produtores um custo de produção entre R$ 10 a 12,5 mil reais por hectare. Considerando que estamos em um ano “off”, com problemas climáticos e uma produtividade média estimada de 710 Kg/ha (50%do ano 2019), temos um custo aproximado de R$ 16,00 por quilo, ou ao redor de U$ 3,00. As contraofertas que começam a aparecer para pecan descascadas estão ao nível de US 11,50 CIF Holanda. Fica próximo dos preços de R$ 60,00/Kg. Neste patamar de preços, poderemos superar as dificuldades impostas pelo clima.


Acreditando no futuro deste país e deste negócio, o IBPecan busca as melhores soluções para que produzamos um alimento saudável, sustentável e rentável. Negócios são feitos de forma respeitosa, em que todos ganham, gerando uma sinergia onde possamos emergir desta situação mais fortes. Unidos, seguimos acreditando que podemos criar um futuro melhor para todos.



Eduardo Basso – Conselheiro Fiscal do IBPecan


https://www.ibpecan.org/boletins

0 visualização

Av. Presidente Roosevelt, 1264 lj. 36
Porto Alegre, RS 90230-002

contato@ibpecan.org

Tel: (51) 3103-5299

         (51) 99829.1140

  • YouTube - IBPecan
  • Branco Twitter Ícone
  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
WhatsApp Image 2020-04-01 at 16.48.40.jp

By Jonas Janner Hamann 
Associado produtor IBPecan

Criado por FlyUp Soluções Digitais