top of page

Empreendedorismo e novas tecnologias na pecanicultura ganham destaque em live do IBPecan

Programa contou com especialista do Senai e produtora de Chapada que falaram sobre inovação e desafios na produção e venda da noz-pecã


“Inovação e Tecnologias em Produtos com Pecan” foi tema da live Segredos da Pecan, promovida pelo Instituto Brasileiro de Pecanicultura (IBPecan), nesta terça-feira, 26 de março. Em sua terceira edição, o programa contou com a participação da coordenadora de Serviços de Tecnologia e Inovação do Instituto Senai de Tecnologia em Alimentos e Bebidas, Liana Stoll, e da pecanicultora Anelise Scheibe. O responsável pela apresentação da live, transmitida sempre na última terça-feira do mês, pelo canal de YouTube do IBPecan, é o associado Lailor Garcia. A iniciativa tem por objetivo levar aos sócios e interessados informações relevantes para a cadeia da pecanicultura.






Ao abrir a live, Garcia destacou que o tema abordado é da mais alta relevância pois está diretamente relacionado ao fortalecimento de toda a cadeia produtiva e, principalmente, à satisfação do consumidor. Afirmou que a fruta noz-pecã é fonte de proteína e energia com diversos benefícios à saúde. Ao apresentar as palestrantes, Garcia afirmou, ainda, que o IBPecan busca auxiliar a cadeia produtiva a encontrar tecnologias capazes de entregar ao consumidor final uma fruta saborosa e com todas as características nutricionais, além de promover o desenvolvimento de produtos dos mais variados à base de pecan.



A primeira a falar foi Liana, que é engenheira de alimentos e coordenadora de serviços de tecnologia e inovação do Instituto Senai de Tecnologia em Alimentos e Bebidas. Ela fez inicialmente uma apresentação sobre o trabalho desenvolvido pelo Instituto, informando que são oito em todo o Brasil. Lembrou que o Senai atua para ser um braço da indústria e busca identificar oportunidades de crescimento para diversos setores, como, por exemplo, o da agroindústria.  



Ao ser questionada por Garcia em relação a um dos problemas enfrentados pela noz-pecã que é a questão da conservação, explicou que todos os produtos com maior teor de gordura sofrem com a rancificação e até uma possível perda nutricional. Conforme Liana, o Instituto Senai possui uma equipe de consultores capazes de desenvolver processos que aumentem a vida da noz-pecã nas prateleiras. “Temos muitas formas de trabalhar e identificar processos que minimizem o contato do produto com o oxigênio e que cheguem ao consumidor final com um tempo estendido e, desta forma, possam atingir mais mercados”, destacou, apontando a importância em desenvolver embalagens com materiais que barrem a entrada do ar e da luz, e evitem a oxidação dos produtos.



Já a pecanicultora Anelise Scheibe, proprietária e responsável pela criação de produtos e venda da Pecan Brasil, situada no município de Chapada (RS), falou sobre a importância em empreender. Contou que após uma visita a pomares de pecan no Texas, Estados Unidos, ela e o marido decidiram criar a marca e depois iniciar a sua linha de produtos. “Atualmente temos um amplo portfólio, mas estamos comercializando 10 produtos à base de noz-pecã”, informou, salientando o tradicional Pecanttone com chocolate.


Segundo Anelise, novos produtos estão sendo elaborados e destacou o pré-lançamento do Pacanttone Camafeu que não contém chocolate e que vem com alguns diferenciais.  Também citou os bocados que são cobertos com chocolate meio amargo e também com chocolate branco, assim como alfajores, torrones e o ovo de Páscoa Magian Cacao que contém noz-pecã e 45% de cacau, e é uma parceria com a Magian Cacao.


A pecanicultora falou, ainda, sobre os desafios na hora de desenvolver um produto. Pontuou a importância da qualidade e de encontrar parcerias sérias. “Muitos já têm produtos em linha e precisam entender e aceitar o desafio de colocar a noz-pecã neles”, observou, aconselhando também sobre a necessidade de ter suporte de pessoas capacitadas que entendam do mercado.


No final da live, Lailor Garcia salientou que o presidente do IBPecan, Eduardo Basso, busca desenvolver toda a cadeia de produção da noz-pecã, informando que já está sendo agendado com o Senai um evento para falar sobre assessoria para quem quer desenvolver produtos à base de pecan. A data ainda será agendada.


Foto: Divulgação

Texto: Rejane Costa/AgroEffective

6 visualizações0 comentário

Comments


whatsapp.png
bottom of page